Associação Brasileira das Pequenas e Médias Cooperativas e Empresas de Laticínios

Slider

 

 

 

O “Brasília FestLeite é organizado pelo G100 e tem o apoio da Frente Parlamentar da Bovinocultura do Leite”, o evento será no dia 12 de junho de 2017 no auditório “Nereu Ramos” - situado no Anexo II da Câmara dos Deputados – Congresso Nacional - Brasília DF.

 

Programa:

 

1- 13h30 - Abertura do Evento pelo Presidente do G100;

2- 13h45 – Mensagem do 1º Vice Presidente da Câmara – Dep. Fábio Ramalho;

3- 14h15 - O Leite na Alimentação Mundial – Representante da FAO no Brasil Alan Bojanic;

4- 14h45 - A Importância Sócio, Econômica e Alimentar do Leite & Lácteos nos programas sociais – Dr.Osmar Terra - Ministro do Desenvolvimento Social e Agrário;

5- 15h15- Degustação de Leite & Lácteos de Associadas G100;

6- 16h00 - Lácteos na Vida Saudável – DR. Drauzio Varella;

7- 17h30- Encerramento: Deputado Celso Maldaner - Presidente da Frente Parlamentar da Bovinocultura do Leite

 

3º Brasília FestLeite: dr. Drauzio enfatiza a importância dos lácteos para a vida saudável

 

A Câmara dos Deputados foi palco do 3º Brasília FestLeite - grande evento em alusão ao Dia Mundial do Leite, data instituída pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO/ONU). Promovido pela Associação Brasileira das Pequenas e Médias Cooperativas e Empresas de Laticínios (G100), em parceria com a Frente Parlamentar em Defesa da Bovinocultura de Leite da Câmara dos Deputados, o evento contou com palestrantes do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, da representação da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura no Brasil, e teve uma participação do Dr. Drauzio Varella, que abordou a importância do consumo de lácteos para a manutenção de uma alimentação equilibrada e de uma vida saudável.

 

 

"A que ponto de confusão e desinformação chegamos! Ter que fazer uma palestra para dizer que o leite não faz mal", ironizou o médico ao comentar a grande quantidade de boatos que circulam pelas redes e que atribuem - erroneamente - ao leite a causa de diversas doenças e alergias. Drauzio explicou que o leite é o grande responsável pela reposição de cálcio no organismo humano por meio da alimentação, sendo fundamental na dieta não apenas de bebês e crianças - que devem ser alimentados exclusivamente com leite materno até os seis meses de idade - como também para jovens, adultos e idosos. "Os casos de alergia à lactose são, na realidade, muito raros. Ocorre é que, no mundo contemporâneo, em que é tão comum o sedentarismo e a alimentação baseada em produtos industrializados, muitos atribuem uma falsa culpa ao leite", explicou, reiterando sua importância.

Drauzio explicou que o conceito de boa saúde está associada a um conjunto de fatores, com destaque para uma boa alimentação e exercícios físicos regulares. "A vida saudável é aquela que tem uma dieta variada, sem exagero e com exercícios físicos. O corpo humano é uma máquina que foi desenhada para o movimento, não foi feita para ficar parada. Mas, ao contrário de outras máquinas que com o uso se depreciam, como um carro, o homem quando se movimenta se aprimora", explicou.

 

"Levamos uma vida muito pouco saudável e queremos uma fórmula mágica. Se alguém disser que um comprimido vai fazer as pessoas se sentirem melhor, aquilo rapidamente vira uma febre. No entanto, não existe um único estudo científico que diga que tomar vitamina traga algum benefício, por exemplo. O que o homem tem que entender no mundo moderno é que você tem que ter uma dieta equilibrada, dosar

as porções e fazer exercícios físicos, investindo não apenas em uma frente, mas em um conjunto de medidas que promovem a vida saudável", explicou.

 

 Outros palestrantes

                           

 Além do dr. Drauzio, o 3º Brasília FestLeite contou ainda com outras palestras e debate do tema, com vistas a uma análise de todas as etapas de produção, comercialização e consumo do produto, do agricultor até a mesa do consumidor. Representando a FAO no Brasil, o assistente Gustavo Chianca apresentou uma análise do contexto mundial na produção e consumo de lácteos, com ênfase na segurança alimentar.

Resultado de imagem para Gustavo Chianca fao"A segurança alimentar pode ser entendida sob quatro pilares: disponibilidade; acesso e utilização dos alimentos, além da estabilidade no tempo das três variáveis anteriores. Alcançar a segurança alimentar para todos e garantir que as pessoas tenham acesso a alimentos de boa qualidade para que possam levar uma vida ativa e saudável é a essência das atividades da FAO", afirmou.

Entre os desafios para a segurança alimentar, Chianca elenca o desperdício como um dos principais a serem combatidos - já que 1,3 bilhão de alimentos são desperdiçados todos os anos no mundo, o equivalente a um terço de toda a produção. "A palavra-chave é: aproveitar melhor o que se produz", explica. No setor de lácteos, as perdas chegam a 20%.

  

Já representando o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, o diretor da Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, José Paulo Almeida, tratou da importância dos lácteos nos programas sociais. Ele detalhou o funcionamento do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que possui duas finalidades básicas: promover o acesso à alimentação e incentivar a agricultura familiar. O Programa compra alimentos produzidos pela agricultura familiar, com dispensa de licitação, e os destina às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional e àquelas atendidas pela rede socioassistencial e pelos equipamentos públicos de alimentação e nutrição.

O PAA também contribui para a constituição de estoques públicos de alimentos produzidos por agricultores familiares e para a formação de estoques pelas organizações da agricultura familiar. Além disso, o Programa promove o abastecimento alimentar por meio de compras governamentais de alimentos; fortalece circuitos locais e regionais e também redes de comercialização; valoriza a biodiversidade e a produção orgânica e agroecológica de alimentos; incentiva hábitos alimentares saudáveis e estimula o associativismo.

 

 

Calendário G100

Sem eventos